INFLUÊNCIA DO ESTRESSE NA FORÇA DE MORDIDA E ATIVIDADE ELETROMIOGRÁFICA DOS MÚSCULOS MASTIGATÓRIOS

INFLUÊNCIA DO ESTRESSE NA FORÇA DE MORDIDA E ATIVIDADE ELETROMIOGRÁFICA ...

Felipe Teixeira ALVES1, Fabíola Sarrapio FREIRE2, Matheus Henrique LopesDOMINGUETE3

Descrição:

A relação do estresse com o aparecimento de diversas patologias vem sendo muito discutida no meio científico. É notório, dessa forma, que haja uma intrínseca relação do estresse com as dores orofaciais decorrentes de problemas relacionados à disfunção temporomandibular (DTM), principalmente pela utilização dos músculos mastigatórios como mecanismo compensador para estas patologias. Objetiva-se assim determinar a relação do nível de estresse com os músculos mastigatórios, utilizando como base os dados eletromiográficos destesmúsculos e da força de mordida.Materiaise métodos:30acadêmicos do curso de Odontologia da Unincor, campus Três Corações-MG, foramavaliados mediante a utilização do Inventário de Sintomas de Stress para Adultos de Lipp (ISSL) sendoclassificados em grupos de estresse e não estresse (GI e G2). Ambos os grupos foramavaliados no transdutor de força mandibular (EMG SYSTEM DO BRASIL Ltda.) captando sinais da eletromiografia de superfície dos músculos masseteres e temporais direito e esquerdo, concomitantemente a força de mordida. Os dados foramtabulados no programa SPSS® V26 e comparados através do teste t. Resultados:Constatou-se maior tendência dos alunos a condição do estresse na fase de resistência. Pela comparação dos grupos G1 e G2verificou-se a relação direta do aumento da atividade eletromiográfica e da força de mordida nos alunos com estresse.Considerações finais: O estresse aumentou a força de mordida e a atividade eletromiográfica dos músculos da mastigação. Este aumento influencia negativamente no ciclo mastigatório devido ao alto gasto energético. Assim, oestresse deve ser considerado durante a avaliação mastigatória do paciente.