Adubação potássica na severidade da mancha-angular no feijoeiro

Adubação potássica na severidade da mancha-angular no feijoeiro

Paulo Ricardo Vilani BANDEIRA

Orientador: Aurivan Soares de FREITAS

Data de Publicação: Jul 17, 2020

Descrição:

O feijoeiro comum (Phaseolus vulgaris L.) é fonte proteica na alimentação de milhões de pessoas. A produção dessa leguminosa se estende a todo o território nacional com clima tropical e subtropical, sendo possível produzir até três safras anuais com as tecnologias disponíveis no mercado. A cultura do feijoeiro é suscetível às variâncias climáticas, favorecendo o surgimento de várias doenças, o que contribui para baixas produtividades e reduz a qualidade fisiológica, nutricional, sanitária, e comercial do grão. O objetivo deste trabalho foi avaliar a severidade da mancha-angular sobre o efeito de dosagens de K2O pela cultura do feijoeiro. O experimento foi realizado na fazenda experimental da Universidade Vale do Rio Verde (UninCor), situado no município de Três Corações. O delineamento experimental instalado em delineamento em blocos casualizados (DBC), composto por quatro repetições e quatro doses de potássica, equivalente a 0, 30, 60, 120 e 160 kg de K ha-1, e um tratamento sem aplicação de potássio, aplicados na forma de Cloreto de Potássio. Foram identificados sintomas de mancha-angular no feijoeiro e a severidade da doença foi correlacionada com os tratamentos propostos, sendo que houve uma redução de 1,69 para 0,72 com o aumento das doses de 30 para 160 kg de K ha-1. O aumento nas doses de potássio reduziu significativamente a severidade da mancha-angular no feijoeiro.